“Mas afinal, que raios vc veio fazer aqui?”

2

Escultura inspiradora para um fim de semestre acadêmico na APU

Quem já estudou ou estuda japonês – ou, ainda, teve um mínimo contato com a cultura japonesa – sabe que todo primeiro contato coletivo nessa terra de meu Deus ou em suas sucursais (cursos de japonês, colônia nikkei e clubes a ela vinculados) envolve um jikoshoukai 自己紹介 (ou autoapresentação, em português meio estranho?). No caso do ambiente acadêmico, faz parte dela mencionar os seus objetivos de estudo – coisa necessária de se ter na ponta da língua principalmente quando o acontecimento coletivo em questão é a temida entrevista para conseguir a sonhada bolsa de estudos.

Quando eu prestei a Jasso, eu tinha uma ideia bem concreta do que eu gostaria de pesquisar no Japão e dos motivos que me fariam julgar a tal pesquisa no Brasil inviável naquele momento, e isso, obviamente, foi dito da forma mais detalhada e clara possível durante a entrevista. Eu, contudo, por mais que tivesse feito minhas buscas, não tinha ideia de como isso seria feito na APU (Aichi Prefectural University, 愛知県立大学 ou simplesmente Kendai para os íntimos); sequer, ainda, tinha ideia de como daria cabo do principal requisito para a viabilização da minha pesquisa: melhorar vertiginosamente minhas skills em língua japonesa. Por mais que o site da Kendai disponibilize um panorama geral dos oferecimentos para intercambistas, a rotina acadêmica a ser executada a princípio parece ser tão vaga e desconhecida que você se sente profundamente imaturo, irresponsável e fanfarrão por pleitear algo sobre o qual não tem a menor ideia. As coisas só começam a ficar claras a partir da primeira setsumeikai 説明会 (palestra), e o caminho rumo ao domínio dos paranauês ryugakuseísticos ainda tem se mostrado longo e tateante.

Pensando, então, nos que já estiveram na mesma situação que eu e prestarão a Jasso neste ou nos próximos anos (ou outra bolsa que tenha um molde semelhante), pretendo fazer, ao longo da minha estadia, uma série de posts explicativos sobre a rotina da faculdade, a recepção acadêmica, os features, as particularidades e as exigências com vistas a tornar os candidatos capazes de darem uma resposta campeã à pergunta do título (e, principalmente, a conscientizar os mesmos de onde estão prestes a amarrarem os seus burros). Vamos ao primeiro, oe!

O programa, a bolsa

O programa de intercâmbio da Aichi Prefectural University contempla a disponibilização de um conjunto de disciplinas destinadas ao aprendizado de língua estrangeira por estudantes estrangeiros de nível superior (sejam eles graduandos ou pós-graduandos). Dependendo da universidade de convênio e dos trâmites do acordo, pode ou não haver exigência de pesquisa acadêmica na instituição; há, ainda, a possibilidade de o aluno poder frequentar as aulas regulares da Universidade caso tenha domínio do idioma suficiente para isso.

No caso da USP, o convênio estabelecido pela FFLCH contempla os estudantes do curso de Letras – Habilitação em Japonês (ouvi falar também de um programa de seis meses vinculado à CCInt Central/Aucani, que, por sua vez, parece ser de natureza totalmente diferente do meu, então fiquem atentos) com a gratuidade dos custos acadêmicos por um ano (universidade pública fora do Brasil não é gratuita, beibe!) e uma bolsa de estudos patrocinada pela Jasso para garantir uma estadia minimamente confortável em termos financeiros. Embora o valor dela seja inferior ao de bolsas como o MEXT e a Heiwa Nakajima, o processo de seleção costuma ser mais tranquilo e sem muitos intermediários: envio de histórico escolar, documentos e carta de intenção; redação (singela); e, finalmente, entrevista com os representantes do programa no Brasil e na APU. Uma vez aceito, basta seguir os trâmites burocráticos demandados pela Comissão de Relações Internacionais da FFLCH e comprar as passagens (por sua conta). O período de inscrição ocorre geralmente no segundo semestre, por volta de setembro e outubro, e a oferta de vagas pode variar de ano para ano.

Outra vantagem da APU é que o programa dela também contempla estudantes de níveis abaixo de N3, apresentando disciplinas voltadas até mesmo para o nível introdutório. Conheci várias pessoas de outros países vinculadas ao programa de seis meses que chegaram aqui com conhecimento ZERO de nihongo e foram devidamente recepcionadas e alocadas dentro do programa de aprendizagem condizente com o nível delas.

A chegada e o início das aulas

Uma vez no Japão, o estudante selecionado será convidado a comparecer a uma palestra acerca dos oferecimentos da universidade, disciplinas disponíveis e prazos, além de realizar um teste de nível que irá qualificar o aluno para frequentar as disciplinas direcionadas ao aprendizado de japonês no nível condizente. O leque é bastante variado; somando disciplinas de aprendizado do japonês e regulares da universidade, você deverá cursar o mínimo de sete créditos para manter o seu vínculo com a instituição (lembrando que um crédito = 1 aula semanal). O pessoal da comissão de relações internacionais da APU costuma orientar os alunos a se inscreverem em muitas disciplinas para que possam ter uma amostragem satisfatória dos oferecimentos durante as duas primeiras semanas para que, uma vez decididos, possam eliminar sem prejuízo quantitativo as que não tiverem interesse no período reservado para isso. Cada aula da Kendai tem a duração de uma hora e trinta minutos; a grade horária, por sua vez, engloba os períodos da manhã e da tarde (sim, prepare-se para buracos, dias vagos, uma aula na manhã e duas no final da tarde, etc).

Paralelamente, o aluno poderá desenvolver sua pesquisa assim que sentir que sua proficiência no idioma dá conta disso. A ideia é que o andamento grosso dela ocorra no segundo semestre, mas nada impede o aluno de iniciar suas buscas logo que as aulas começarem. Ademais, pretendo falar sobre isso mais detalhadamente em um futuro post (assim que eu mergulhar propriamente no processo).

Infraestrutura e acolhimento

Para um estudante da USP, a APU parece uma miniatura de brinquedo: creio que o tamanho do campus pouco ultrapassa o da FFLCH! Universidade pequena, mas que tem a sua robustez: o departamento de línguas estrangeiras, por exemplo, oferece cursos de alemão, russo, coreano, chinês, espanhol, inglês… e português! Na parte de RI, há uma respeitável linha de pesquisa de estudos latinoamericanos (da qual o Prof. Kawabata, responsável também, aliás, pelos estudantes brasileiros, faz parte) e os estudos japoneses não ficam atrás em termos de respeitabilidade.

Há também um centro de línguas, o iCoToBa, em que é possível reforçar, tirar dúvidas e praticar as línguas em intercurso na universidade de forma colaborativa entre intercambistas e alunos. O suporte acadêmico é grande e o acolhimento é maravilhoso – muitas confraternizações e oportunidades para todo mundo interagir em 1937497 línguas estão garantidas. Esta semana, por exemplo, nós – intercambistas brasileiros e portugueses – fomos recebidos com uma festinha pelos grupo de estudantes japoneses que estão na lida com o idioma. Teve até paçoquita ❤ Alguns dos estudantes do grupo pretendem ir para a USP em breve e pudemos sanar rapidamente algumas dúvidas e orientá-los acerca de alguns oferecimentos interessantes para os nihonjins na USP, como o ohanashikai お話し会 semanal na Casa de Cultura Japonesa. Tivemos também várias dúvidas sanadas e dicas da parte da APU (aliás, preciso dizer, Regina-sensei é uma fofa!).

1

Watarai-sensei ficou impressionada (e feliz) com o tanto de gente que compareceu! haha

Well, por hoje é só! Vale a pena dar uma olhada nos sites da Kendai e do iCoToBa e ficar por dentro das novidades (BONUS TRACK: instagram da área de Português). またあとで!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s